R E L V A D O T U G A • FUTEBOL TOTAL
Bem-vindo ao Fórum Relvadotuga.com. Entra já para esta comunidade Regista-te!

Jornal Nacional

Página 5 de 13 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 28.06.08 6:34

Disparados 7 tiros a pavilhão onde Sócrates esteve ontem

A Polícia Judiciária recolheu hoje sete cápsulas de bala e outros vestígios próximo do Pavilhão Arena, em Portimão, alvejado durante a noite quando decorria um jantar do PS/Algarve, que contou com a presença do primeiro-ministro José Sócrates.
Dos sete tiros disparados sobre o Pavilhão Arena, de onde saíra meia hora antes José Sócrates, só dois projécteis acertaram na cobertura do recinto.

De acordo com fonte do seu gabinete, José Sócrates já se encontrava perto de Albufeira, a cerca de 20 quilómetros do local, quando ocorreram os disparos.

Ninguém ficou ferido no incidente.

Nas suas demoradas perícias durante a madrugada, a PJ observou marcas visíveis de impacto de dois projécteis na cobertura do pavilhão, tendo mantido no local 22 inspectores de quatro secções - Direcção Central de Combate ao Banditismo, DIC-Departamento de Investigação Criminal de Portimão, Secção Regional de Combate ao Banditismo e dois técnicos da polícia científica, que vistoriaram minuciosamente a área circundante do Pavilhão Arena.

Em declarações à Lusa, o coordenador do DIC de Portimão da PJ, Paulo Rebelo, confirmou a recolha de vestígios de uma arma de fogo, explicando ser «ainda cedo para tirar qualquer conclusão» e que o material recolhido seria enviado para análise balística no laboratório da Polícia Científica.

Os elementos da Polícia Científica vistoriaram durante três horas a cobertura do pavilhão, à qual acederam através de uma escada Magiruz dos Bombeiros de Portimão.

A 132 metros do Pavilhão Arena foram encontradas sete cápsulas de bala de pistola de calibre 7.65 milímetros, habitualmente utilizadas em armas das forças de segurança.

Segundo uma testemunha, que estava no exterior do Pavilhão, ouviram-se primeiro três tiros, seguidos de outros três, desconhecendo-se o local de onde foram feitos.

Na altura, ainda se encontravam no interior e no exterior do Pavilhão centenas de pessoas que, apesar de tudo, mantiveram a calma.

O presidente da Câmara Municipal de Portimão, Manuel da Luz, desvalorizou o incidente atribuindo os disparos a indivíduos que se entretêm a disparar contra placas de sinalização.

«Nos últimos quinze dias, têm aparecido sinais e placas de trânsito furadas por tiros, desconhecendo-se os autores do disparos», acrescentou.

Por seu lado, a governadora civil de Faro, Isilda Gomes, que estava dentro do Pavilhão alvejado e onde se encontravam cerca de 300 pessoas, descreveu hoje o incidente como «uma brincadeira de mau gosto».

Em declarações à Agência Lusa, Isilda Gomes disse não se ter apercebido dos disparos e que só soube deles por alguém, que estava no exterior, os ter comentado.

«À porta do pavilhão estava um pequeno grupo que ouviu seis disparos, três espaçados e mais três tipo rajada, tendo entrado no pavilhão e comentado o caso», observou a representante do Governo na região.

Isilda Gomes classificou o incidente como «uma brincadeira de mau gosto que poderia ter atingido alguém», acrescentando, contudo, «que dá a impressão de não ter havido a intenção de acertar em alguém».

A governadora civil disse que os tiros foram disparados «por alguém que, depois de uma iniciativa com tanto sucesso, decidiu brincar um pouco com esta festa».

«É a primeira vez que uma coisa destas acontece no Algarve, principalmente junto a um local onde decorria o jantar partidário», acentuou.

Os disparos foram efectuados de uma zona junto a um dos edifícios, próximo de um terreno baldio.

Foi nesse local que a Polícia Judiciária encontrou as sete cápsulas de pistola de 7.65 milímetros.

Uma das pessoas que fazia parte do grupo que se encontrava no exterior do pavilhão disse à Lusa ter «apanhado um grande susto» ao ouvir os projécteis a bater na cobertura do edifício, a cerca de três metros do solo.

«Até ainda estou a tremer porque poderia ter sido atingido», frisou, acrescentando ter ficado «estupefacto», o que levou a pessoa a refugiar-se no interior do Pavilhão Arena.
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por blitz0 em 28.06.08 8:03

AHAHAHAH

É o que dá ser um primeiro ministro exemplar ..
avatar
blitz0
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1865
Clube : Benfica/Bordéus/Man.Utd
Pontos : -16
Data de inscrição : 05/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Spieler em 28.06.08 11:24

Só sete???
Fogooooo lol!
avatar
Spieler
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1897
Clube : Benfica
Pontos : -17
Data de inscrição : 20/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 29.06.08 18:01

Alemão detido por pedofilia em Lisboa foi agraciado com Medalha de Mérito da Câmara de Cerveira

O cidadão alemão detido em Lisboa pela Polícia Judiciária por alegada pedofilia viveu durante duas décadas em Vila Nova de Cerveira, onde era tido como benemérito e foi mesmo agraciado com a Medalha de Mérito do concelho.

«Na altura [1994], estávamos longe de imaginar que esse cidadão [Ulrich Schulz] pudesse vir a ser indiciado pelo crime de pedofilia, tanto assim que a decisão de lhe atribuir a medalha de mérito mereceu a aprovação unânime do Executivo», disse, à Lusa, o presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira.

José Manuel Carpinteira não escondeu o «desconforto» da situação mas explicou que a decisão de atribuir a medalha de mérito a Ulrich Schulz se ficou a dever ao facto de ele ter oferecido várias viaturas aos Bombeiros Voluntários locais e à sua «permanente predisposição para ajudar pessoas carenciadas».

Outro factor de «desconforto» para os autarcas de Cerveira é a escultura de um cervo, símbolo do município, implantada junto aos Paços do Concelho, e que foi igualmente oferecida por Schulz.

«É, naturalmente, uma questão que nos está a causar algum desconforto, pelo que, se as suspeitas se confirmarem, essa escultura poderá ser retirada da via pública», afirmou.

Ulrich Schulz é um músico alemão, actualmente com 59 anos, cujos nomes artísticos mais conhecidos são Oliver Serano-Alve e Oliver Shanti e que viveu durante duas décadas numa quinta em Vila Nova de Cerveira, sendo o seu paradeiro desconhecido desde 2002.

Tinha pendente, desde 2003, um mandado de detenção europeu, emitidos pelas autoridades da Alemanha, por suspeita da prática, no seu país de origem, de, pelo menos, 116 crimes de pedofilia.

As autoridades alemãs destacam a sua «elevada perigosidade», já que cinco dos seus alegados abusos sexuais de menores terão envolvido um elevado grau de violência.

Estes crimes terão ocorrido no âmbito da seita que o próprio Schulz fundou na década de 80, na Baviera, e que, no total, poderá ter dado cobertura a mais de um milhar de abusos sexuais de menores.

Em Vila Nova de Cerveira, «nunca ninguém sonhou» que Ulrich Schulz pudesse estar envolvido em pedofilia, embora, como admitiu o presidente da Câmara, «fossem frequentemente vistas muitas crianças, algumas das quais estrangeiras, na sua quinta».

«Na altura ninguém deu importância ao caso, mas agora começa a perceber-se que algo se poderia passar ali»,disse o autarca.

Segundo a Polícia Judiciária, Schulz deslocava-se regularmente a Portugal há mais de cinco anos, acabando por ser detido pelo Departamento Central de Informação Criminal e Polícia Técnica.

Schulz deverá agora ser repatriado para a Alemanha.

Lusa
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Spieler em 30.06.08 17:35

Johny89 escreveu:Alemão detido por pedofilia em Lisboa foi agraciado com Medalha de Mérito da Câmara de Cerveira

O cidadão alemão detido em Lisboa pela Polícia Judiciária por alegada pedofilia viveu durante duas décadas em Vila Nova de Cerveira, onde era tido como benemérito e foi mesmo agraciado com a Medalha de Mérito do concelho.

«Na altura [1994], estávamos longe de imaginar que esse cidadão [Ulrich Schulz] pudesse vir a ser indiciado pelo crime de pedofilia, tanto assim que a decisão de lhe atribuir a medalha de mérito mereceu a aprovação unânime do Executivo», disse, à Lusa, o presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira.

José Manuel Carpinteira não escondeu o «desconforto» da situação mas explicou que a decisão de atribuir a medalha de mérito a Ulrich Schulz se ficou a dever ao facto de ele ter oferecido várias viaturas aos Bombeiros Voluntários locais e à sua «permanente predisposição para ajudar pessoas carenciadas».

Outro factor de «desconforto» para os autarcas de Cerveira é a escultura de um cervo, símbolo do município, implantada junto aos Paços do Concelho, e que foi igualmente oferecida por Schulz.

«É, naturalmente, uma questão que nos está a causar algum desconforto, pelo que, se as suspeitas se confirmarem, essa escultura poderá ser retirada da via pública», afirmou.

Ulrich Schulz é um músico alemão, actualmente com 59 anos, cujos nomes artísticos mais conhecidos são Oliver Serano-Alve e Oliver Shanti e que viveu durante duas décadas numa quinta em Vila Nova de Cerveira, sendo o seu paradeiro desconhecido desde 2002.

Tinha pendente, desde 2003, um mandado de detenção europeu, emitidos pelas autoridades da Alemanha, por suspeita da prática, no seu país de origem, de, pelo menos, 116 crimes de pedofilia.

As autoridades alemãs destacam a sua «elevada perigosidade», já que cinco dos seus alegados abusos sexuais de menores terão envolvido um elevado grau de violência.

Estes crimes terão ocorrido no âmbito da seita que o próprio Schulz fundou na década de 80, na Baviera, e que, no total, poderá ter dado cobertura a mais de um milhar de abusos sexuais de menores.

Em Vila Nova de Cerveira, «nunca ninguém sonhou» que Ulrich Schulz pudesse estar envolvido em pedofilia, embora, como admitiu o presidente da Câmara, «fossem frequentemente vistas muitas crianças, algumas das quais estrangeiras, na sua quinta».

«Na altura ninguém deu importância ao caso, mas agora começa a perceber-se que algo se poderia passar ali»,disse o autarca.

Segundo a Polícia Judiciária, Schulz deslocava-se regularmente a Portugal há mais de cinco anos, acabando por ser detido pelo Departamento Central de Informação Criminal e Polícia Técnica.

Schulz deverá agora ser repatriado para a Alemanha.

Lusa
Hahahahahah
avatar
Spieler
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1897
Clube : Benfica
Pontos : -17
Data de inscrição : 20/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 01.07.08 6:31

Microchip obrigatório em cães nascidos a partir de hoje



Os cães que nascerem a partir de hoje são obrigados a usar um microchip de identificação electrónica, ao abrigo da nova legislação que entra agora em vigor e que obriga os donos a registar o animal no Sistema de Identificação de Caninos e Felinos.

O microchip vai conter todos os dados do animal fornecidos pelos veterinários como a data de nascimento, raça, cor e historial de vacinas e doenças.

O objectivo é controlar as raças perigosas e prevenir o abandono e o roubo de animais.

As novas regras só se aplicam para já aos cães, já que a legislação destinada aos gatos ainda não foi regulamentada.

Lusa
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Spieler em 01.07.08 7:57

Johny89 escreveu:Microchip obrigatório em cães nascidos a partir de hoje



Os cães que nascerem a partir de hoje são obrigados a usar um microchip de identificação electrónica, ao abrigo da nova legislação que entra agora em vigor e que obriga os donos a registar o animal no Sistema de Identificação de Caninos e Felinos.

O microchip vai conter todos os dados do animal fornecidos pelos veterinários como a data de nascimento, raça, cor e historial de vacinas e doenças.

O objectivo é controlar as raças perigosas e prevenir o abandono e o roubo de animais.

As novas regras só se aplicam para já aos cães, já que a legislação destinada aos gatos ainda não foi regulamentada.

Lusa
Antes já er necessário.
O meu cão tambem tinha esse microchip Very Happy
avatar
Spieler
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1897
Clube : Benfica
Pontos : -17
Data de inscrição : 20/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por batista30 em 01.07.08 9:09

paga se mto? la plo microxip?
avatar
batista30
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1306
Clube : S.L.Benfica, Académica e Anadia FC
Pontos : -29
Data de inscrição : 06/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Spieler em 01.07.08 10:24

Epá eu já não me lembro bem, mas acho que na altura foi 60 euros.
Mas porquê?
avatar
Spieler
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1897
Clube : Benfica
Pontos : -17
Data de inscrição : 20/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por blitz0 em 01.07.08 17:29

Eu tenho um American Pit-bull e custou-me 75 euros o chip .. Mais licenças, ansaime, seguro .. Fogo, que despesa !
avatar
blitz0
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1865
Clube : Benfica/Bordéus/Man.Utd
Pontos : -16
Data de inscrição : 05/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 01.07.08 18:22

Cibernautas criam primeira Confraria do Pastel de Nata



A comunidade cibernauta portuguesa Startracker apresentou hoje a Confraria do Pastel de Nata, que visa projectar a imagem do país no estrangeiro através da promoção deste doce típico em vários locais do mundo.

A rede social online The Startracker, que reúne profissionais portugueses de diversas áreas espalhados por todo o mundo, decidiu apostar no pastel de nata para promover os produtos e a gastronomia de Portugal.

«O pastel de nata é uma realidade muito banal na vida dos portugueses e pode por isso ajudar a propagar a imagem de Portugal no exterior», disse à agência Lusa José António Sousa, membros do Startracker e fundador da confraria.

«Lancei um debate sobre pastéis de nata há cerca de um mês e conseguimos encontrar locais de fabrico de pastéis de nata em todos os continentes, feitos por portugueses e descendentes de portugueses ou pessoas que trabalharam nacionais».

Foi assim que nasceu a primeira Confraria do Pastel de Nata, hoje apresentada na pastelaria Versalhes em Lisboa, uma das pastelarias mais antigas da cidade.

«Decidimos organizar-nos para fazer algo diferente» afirmou José António Sousa, acrescentando que um dos objectivos do Startracker é valorizar os produtos portugueses.

«Queremos unir todos os fabricantes e amigos do pastel de nata», explicou.

Uma das primeiras funções da nova confraria, afirmou, será criar o Dia Mundial do Pastel de Nata - com data ainda por definir - e promover o fabrico deste doce típico da gastronomia portuguesa em vários locais do mundo.

José António Sousa adiantou ainda que a comunidade está a elaborar «uma tabela dos melhores pastéis de nata do mundo», mas recusou a dizer qual o fabricante que lidera a lista.

José António Sousa sempre foi dizendo que num dos primeiros lugares está «uma pastelaria do Canadá cujos proprietários são portugueses e duas pastelarias lisboetas».

A confraria não terá um espaço físico mas terá brevemente um sítio na Internet, segundo o fundador da Confraria do Pastel de Nata.

Lusa
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Spieler em 02.07.08 16:33

Johny89 escreveu:Cibernautas criam primeira Confraria do Pastel de Nata



A comunidade cibernauta portuguesa Startracker apresentou hoje a Confraria do Pastel de Nata, que visa projectar a imagem do país no estrangeiro através da promoção deste doce típico em vários locais do mundo.

A rede social online The Startracker, que reúne profissionais portugueses de diversas áreas espalhados por todo o mundo, decidiu apostar no pastel de nata para promover os produtos e a gastronomia de Portugal.

«O pastel de nata é uma realidade muito banal na vida dos portugueses e pode por isso ajudar a propagar a imagem de Portugal no exterior», disse à agência Lusa José António Sousa, membros do Startracker e fundador da confraria.

«Lancei um debate sobre pastéis de nata há cerca de um mês e conseguimos encontrar locais de fabrico de pastéis de nata em todos os continentes, feitos por portugueses e descendentes de portugueses ou pessoas que trabalharam nacionais».

Foi assim que nasceu a primeira Confraria do Pastel de Nata, hoje apresentada na pastelaria Versalhes em Lisboa, uma das pastelarias mais antigas da cidade.

«Decidimos organizar-nos para fazer algo diferente» afirmou José António Sousa, acrescentando que um dos objectivos do Startracker é valorizar os produtos portugueses.

«Queremos unir todos os fabricantes e amigos do pastel de nata», explicou.

Uma das primeiras funções da nova confraria, afirmou, será criar o Dia Mundial do Pastel de Nata - com data ainda por definir - e promover o fabrico deste doce típico da gastronomia portuguesa em vários locais do mundo.

José António Sousa adiantou ainda que a comunidade está a elaborar «uma tabela dos melhores pastéis de nata do mundo», mas recusou a dizer qual o fabricante que lidera a lista.

José António Sousa sempre foi dizendo que num dos primeiros lugares está «uma pastelaria do Canadá cujos proprietários são portugueses e duas pastelarias lisboetas».

A confraria não terá um espaço físico mas terá brevemente um sítio na Internet, segundo o fundador da Confraria do Pastel de Nata.

Lusa
Huhuhuhuhuhu lol!
Essa noticia é bem parva Very Happy
avatar
Spieler
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1897
Clube : Benfica
Pontos : -17
Data de inscrição : 20/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 02.07.08 17:38

Spieler escreveu:
Huhuhuhuhuhu lol!
Essa noticia é bem parva Very Happy

Enfim ... Rolling Eyes Rolling Eyes Rolling Eyes Rolling Eyes Pelo menos estão a defender um produto Português ...
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por batista30 em 03.07.08 4:28

R8 no Autódromo do Estoril
EM MAIS UMA EDIÇÃO DA AUDI DRIVING EXPERIENCE


A Audi voltou a escolher o Autódromo do Estoril para mais uma edição da Driving Experience, programa da marca que coloca centenas de convidados perante desafios de condução bem diversos dos que surgem no dia-a-dia. Desta vez, a Audi optou por disponibilizar uma vintena de unidades do desportivo R8, coupé de dois lugares com motor central traseiro de 4.2 litros de cilindrada e 420 cv de potência.

A operação de charme de marca alemã – porque também é disso que se trata – mostra-se particularmente impositiva. Os convidados são enquadrados por monitores que propõem uma abordagem progressiva (por sectores) da pista do Autódromo Fernanda Pires da Silva, sublinhando, claro, as potencialidades de um carro que tem dimensões similares a um Porsche 911 ou um Lamborghini Gallardo.

Perceber a entrega de potência – no caso, permanente às 4 rodas, o sistema “quattro”--, o tempo de aplicação dos travões ou as trajectórias são alguns das matérias que integram o programa. As regras passam pela proibição de ultrapassagens; por não ser possível desligar o sistema ESP (para evitar “danças” de traseira que poderiam ser, enfim, comprometedoras para mãos menos experientes) e, claro, por seguir o “safety car” tripulado por um dos monitores.

O resultado final não pode ser fielmente descrito, apenas sugerido. Ninguém conduz da mesma maneira… muito menos num circuito. O Audi R8 com caixa de velocidades automática (unidade que nos coube em sorte) foi o parceiro ideal para elevar os níveis de adrenalina, sugerindo naturalmente o conceito de carro exclusivista e pouco (ou nada) adequado à utilização diária que todos damos ao nosso automóvel. Nem é essa, como resulta óbvio, a função e a natureza de um carro como o R8.

@record
avatar
batista30
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1306
Clube : S.L.Benfica, Académica e Anadia FC
Pontos : -29
Data de inscrição : 06/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Spieler em 03.07.08 16:34

Um dos meus carros favoritos.
Mas só o vi mesmo a minha frente por duas vezes.
Uma foi na "Boca do Inferno", e outra foi no estádio da Luz quando fui comprar bilhetes, estava lá à venda num stand. Very Happy
Muito lindo mesmo

P.S: Curto mais em cinzento Wink
avatar
Spieler
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1897
Clube : Benfica
Pontos : -17
Data de inscrição : 20/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por batista30 em 04.07.08 3:06

em branco domina... Wink
avatar
batista30
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1306
Clube : S.L.Benfica, Académica e Anadia FC
Pontos : -29
Data de inscrição : 06/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por batista30 em 04.07.08 7:04

"Jogo da bolha" já movimenta milhões


Fenómeno. Chegar ao centro da "bola" é hoje o objectivo de muitos portugueses, desde quadros médios e altos de empresas, até estudantes. As maiores apostas chegam aos dez mil euros. Alguns já ganharam tanto dinheiro que alugam cofres para o colocar e pagam tudo em notas. A questão é saber se é burla.

Há empresas onde dezenas de pessoas jogam

Chamam-lhe um jogo. O jogo da "bolha" ou da "bola". Mas, na realidade, é uma forma de ganhar dinheiro fácil. Neste momento, há milhões a rolar, diz quem conhece por dentro o esquema. Apesar do risco ser enorme para quem entra nele. Ao contrário do que diz quem procura atrair, nas empresas, escolas ou convívios de amigos, colegas e familiares, novos apostadores.

Sobretudo quando as apostas são de 5 000 ou de 10000 euros, que é quanto "investe" quem vai para as bolhas de valor mais alto, normalmente as que funcionam para empresários, quadros médios-altos ou altos de empresas ou outras entidades. E esse risco é ainda maior para os que contraem empréstimos, aliciados pelos 80 000 ou 40 000 euros que podem ganhar, nas apostas mais altas, apenas numa fase posterior.

Foi o caso de Pedro (nome fictício), quadro médio, que fez um empréstimo de cerca de 6 000 euros na banca para entregar 10 000, atraído pelos 80 000 que receberia quando chegasse ao anel central da tal bolha. Neste momento, já ganhou e saiu. O problema é o stress que se tem até conseguir arranjar mais duas ou três pessoas para entrar na "bolha". Por isso, assegura que não volta a entrar.

O esquema, que está a gerar uma verdadeira euforia em tempo de crise (e já foi explicado sexta-feira passada pelo semanário Sol), está em Portugal há três meses, disse ao DN Carlos, quadro superior duma grande empresa onde há dezenas de pessoas a jogar.

O esquema funciona como um bolo fatiado. Cada fatia de cada círculo corresponde a uma posição mais distante ou menos do centro onde está o dinheiro, explica Carlos. Alguns dos seus colegas já chegaram várias vezes ao centro da bola e "estão fartos de ganhar dinheiro". "Pagam tudo em notas", desde as férias, ao supermercado e electrodomésticos, para não serem detectados, através de depósitos de grandes quantidades de dinheiro no banco.

"Ainda ontem um colega meu fechou a terceira bola. Mas essa era de 2000 conta um outro amigo de Carlos da mesma empresa. Por isso, vários até optaram por alugar cofres, explicou. Carlos foi aliciado a entrar na bola, mas não aceitou, porque achou que era demasiado o risco a correr. Além dos colegas, Carlos conhece, pelo menos mais um empresário que também está "viciado no jogo", que já lhe deu milhares de euros.

As pessoas que conhece só jogam nas bolas de 10 000 euros, mas algumas juntam-se para entrar numa mesma casa, das oito que fazem parte do primeiro anel da bolha, o único onde se entra com o dinheiro. A partir dali é a corrida para convencer quem se conhece para preencher as oito casas do primeiro anel.

Porque só quando estas estiverem preenchidas por novos membros, poderão subir ao segundo e depois ao terceiro círculo até serem "empurrados para o centro da bola", onde arrecadam os 80 000 euros. As transacções fazem-se em locais públicos, como parques de estacionamento ou mesmo na rua, conta.

ASAE investiga PSP avalia No locais de emprego, fala-se sobre o assunto em código. Os telemóveis utilizados para falarem com os parceiros de jogo são comprados para o efeito e não ficam registados nos seus nomes, conta um outro colega de Carlos da mesma empresa, Miguel, que já esteve em vários almoços onde o assunto foi abordado. Convívios de trabalho em que os que estão a jogar aproveitam para aliciar os outros a entrar. Até falam de nomes de personalidades públicas que dizem que já entraram no jogo, para atrair ainda mais as atenções, relata. "Na volta não é verdade", diz Miguel.

Em reuniões, em hotéis em Lisboa, marcadas com meia hora de antecedência por sms, procura-se angariar novos participantes, convidados por amigos ou colegas que já estão no jogo, para participarem naqueles encontros. Ali não há transacções de dinheiro, não vá o diabo tecê-las, diz quem já entrou na "bolha". Ao mesmo tempo explica-se como tudo funciona. Entretanto, há quem registe as posições de cada uma das pessoas na bolha, contam. Por isso, alguns andam com essas folhas.

F onte oficial da Secretaria de Estado do Comércio, que tutela a ASAE (Autoridade de Segurança Alimentar e Económica), confirmou ao DN que aquela entidade já está a investigar o assunto, mas escusou-se a revelar qualquer outro detalhe, para não prejudicar a investigação, que é considerada "bastante complexa", pela dispersão do fenómeno.

Não será difícil de investigar, é preciso é identificar-se as pessoas envolvidas. Agora, o que é preciso saber é se este fenómeno é um crime ou não, explicou ao DN Carlos Anjos (ver texto ao lado), presidente da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal (ASFIC).

A PSP, por seu lado, está a avaliar a situação e a sua dimensão. E fontes da PJ, dizem que o assunto só será investigado por aquela entidade se o Ministério Público assim o entender e se houver queixa. Mas não confirmam, para já, que haja queixas ou que o assunto esteja a ser investigado.

O negócio da "bolha", que hoje já está espalhado de norte a sul do País, pelo menos nalguns centros urbanos, começou no Norte, "importado" de Espanha por empresários portugueses. É pelo menos isso que explica quem procura atrair outros para entrar no jogo.

O fenómeno alastrou-se. Mas corre o risco de colapso. E quando isso acontecer muitos poderão perder milhares de euros, diz Carlos Anjos.

Basta pensar que, para uma pessoa ganhar, estão 16 a contribuir e que as bolas se multiplicam cada vez mais, lembra o presidente da ASFIC.

Não há cheques, nem recibos. Resta apenas uma grande dose de confiança de que tudo vai correr bem. Por enquanto, está toda a gente a ganhar. Ou quem perdeu ainda não falou.
avatar
batista30
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1306
Clube : S.L.Benfica, Académica e Anadia FC
Pontos : -29
Data de inscrição : 06/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Spieler em 04.07.08 7:08

batista30 escreveu:em branco domina... Wink
Já viste em cinzento, com a fibra de carbono em preto???
E em laranja, com a fibra de carbono em preto???

Fica muito mais bonito Very Happy
avatar
Spieler
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1897
Clube : Benfica
Pontos : -17
Data de inscrição : 20/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 21.07.08 14:49

Compras pela Internet em Portugal aumentaram 50%



As compras feitas através da Internet em Portugal aumentaram 50 por cento em 2007 em relação ao ano anterior, segundo o Inquérito Nacional de Consumo das Famílias.

No ano passado, 52 por cento dos consumidores com mais de 18 anos que responderam ao inquérito da ACXIOM Portugal (14.524 consumidores) referiram ter feito compras através da Internet, enquanto 47 por cento disseram ter feito encomendas ou compras à distância através de catálogos.

Estas são algumas das conclusões do Inquérito Nacional de Consumo das Famílias, realizado pela ACXIOM Portugal entre Setembro e Outubro de 2007, em Portugal Continental.

Segundo o estudo, a percentagem de consumidores com mais de 18 anos que faz encomendas ou compras através de páginas da Internet é de cerca de 16 por cento (no Continente), valor que representa um aumento de cerca de 50 por cento em relação a 2006.

A variável Internet foi introduzida no Inquérito Nacional de Consumo em 2004 e, desde então, o seu peso tem sempre aumentado. Em 2005, o aumento foi de 10 por cento relativamente a 2004 (com 3.430 consumidores a referirem utilizar a Internet para fazer compras), tendo em 2006 aumentado também 50 por cento (7.132 consumidores).

Este estudo permitiu concluir ainda que são as gerações abaixo dos 50 anos que mais compras fazem na Internet. Dos 14.524 consumidores que utilizaram a "web" para fazer compras em 2007, cerca de 70 por cento têm entre 18 e 45 anos. Já a faixa etária entre os 18 e os 35 anos é responsável por cerca de 40 por cento do número total de vendas pela Internet.

Outra das conclusões apuradas neste inquérito é que são as famílias com maior poder de compra que mais compras fazem via Internet, representando as classes sociais com rendimentos mais elevados mais de 50 por cento do número total de consumidores que utiliza a web para este fim.

Relativamente a profissões, 58 por cento dos consumidores que compram via Internet são dirigentes/gestores de empresas, quadros médios e superiores, profissionais liberais ou professores.

Lusa
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 13.08.08 14:46

Américo Amorim destrona Belmiro como o mais rico de Portugal



Américo Amorim é hoje o homem mais rico de Portugal com uma fortuna avaliada em 3,106 mil milhões de euros iniciada há décadas numa pequena empresa familiar dedicada a um dos mais tradicionais produtos portugueses: a cortiça.
A revista "Exame" divulgou a lista dos 100 homens mais ricos de Portugal, que passou este ano a ser encabeçada pelo empresário de Mozelos.

Aos 74 anos, Américo Amorim viu este ano a sua fortuna crescer 11,6% para os 3,106 mil milhões de euros, uma quantia que também já lhe valeu a classificação de 2008 pela "Forbes" como o cidadão mais rico de Portugal, ultrapassando Belmiro de Azevedo, que ocupava aquela posição desde 2004.

Com participações no Grupo Amorim, Corticeira Amorim, Galp Energia e Banco Popular, Américo Amorim é um dos principais accionistas do Banco Internacional de Crédito, a terceira maior instituição bancária de Angola, e na Cimangola.

As fortunas de Belmiro de Azevedo e José de Mello caíram para metade este ano, num período em que os bens dos 100 portugueses mais ricos baixaram 6%, segundo o estudo da revista.

Belmiro viu a sua fortuna registar uma perda de 42,4%, dada a "descida da cotação das acções da Sonae", de acordo com a revista.

A fortuna do dono do grupo Sonae, e segundo na lista dos mais ricos, vale agora 1.722 milhões de euros, quase metade do valor do ano anterior.

Em terceiro lugar, e mantendo a posição de 2007, surge José Manuel de Mello, com participações grandes na EDP, Brisa, CUF e Mello Saúde, mas com pouco mais de metade da riqueza do ano anterior. A fortuna de José de Mello está avaliada em 1.196 milhões de euros.

Lusa
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 17.08.08 12:39

Verão é propício ao sexo mas não à procriação

As relações sexuais aumentam com o calor, a julgar pelas vendas de preservativos e pílulas do dia seguinte. Mas para procriar, os portugueses preferem os meses mais frios do ano.

A ideia de que o Verão é mais propício para a actividade sexual não é um mito e até é nesta altura que os homens com disfunção eréctil conseguem mais desempenhos, segundo o director do serviço de Urologia do Hospital de São José, em Lisboa.

«Não há nenhum fundamento fisiológico para aumentar a apetência sexual no Verão, mas se as pessoas estão de férias, com menos stress e mais tempo para comunicar, é natural que tenham mais relações sexuais», explica Vítor Vaz Santos.

Em termos puramente fisiológicos, há variabilidade das hormonas ao longo do dia, no caso do homem - que atinge o pico da testosterona de manhã - e ao longo do mês, no caso da mulher, que tem maior apetência sexual entre o 14º e o 18º dia do ciclo menstrual, altura que coincide com o seu período mais fértil.

«Enquanto o homem é como uma máquina simples que funciona ligando-se no botão on, a mulher é como um amplificador complicadíssimo, cheio de botões que estão ligados uns aos outros. Não há um ciclo para o homem ter relações sexuais: desde que esteja fisiologicamente bem, está sempre disponível e com desejo. A mulher é que não», adianta o especialista em medicina sexual.

Mas, sublinha, ao contrário do que acontece com os animais, a sexualidade humana ultrapassa largamente as questões hormonais, sendo muitos e variados os factores que contribuem para a frequência das relações.

Certo é que nas férias de Verão disparam as vendas de preservativos: em Agosto do ano passado foram comercializadas cerca de 77 mil caixas, mais 15 mil do que a média dos restantes meses.

De acordo com dados da consultora IMS Health, divulgados à agência Lusa, também a pílula do dia seguinte regista um grande aumento no mesmo período, o tradicional mês de férias para a maioria dos portugueses, com cerca de 23 mil embalagens vendidas em Agosto de 2007, mais quatro mil do que a média.

«As mulheres sentem-se, em geral, fisicamente mais atractivas, o que tem mais a ver com o contexto do que com questões hormonais. Muitas planeiam as férias já com a expectativa de ter uma aventura e saem em excursões deliberadamente sozinhas ou com pequenos grupos de amigas, levando já a contracepção planeada», relata o sexólogo Júlio Machado Vaz.

Segundo o psiquiatra, há mulheres que não estão sexualmente activas nos períodos de trabalho, mas prevêem estar durante as férias, optando, por isso, por usar a pílula do dia seguinte, e não a pílula normal, a contar com uma «curte sem consequências».

«Não acontece entre os casais, mas por exemplo no caso dos engates de praia. Há uma maior possibilidade de relacionamento na época turística e o sexo surge inesperadamente», corrobora Santinho Martins, presidente da Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica.

Mas se na cabeça de muitos o Verão é sinónimo de relações mais passageiras, já o Inverno é a altura escolhida pelos casais portugueses para pensar na família e conceber os filhos.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, relativos ao período entre 2003 e 2007, Setembro e Outubro foram os meses em que nasceram mais crianças, concebidas em Dezembro e Janeiro.

Abril é, pelo contrário, a altura em que nasceram menos bebés, o que significa que Julho é o mês mais «fraco» no que toca à procriação.

«Há muitos anos dizia-se que o sexo era a televisão dos pobres. No Inverno os dias são mais curtos, a temperatura baixa e os casais ficam mais tempo em casa e vão para a cama mais cedo. Se calhar não há tantas outras coisas para fazer…», sugere Júlio Machado Vaz.

Lusa
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por LorDrummeR em 17.08.08 14:27

LOOL!

Notícia interessante Razz

_________________
Boa música? Clica aqui

avatar
LorDrummeR
Presidente do Núcleo Portista

Número de Mensagens : 3579
Clube : FC Porto / Ac. Viseu
Pontos : 1217
Data de inscrição : 19/05/2008

Ver perfil do usuário http://andrepires7fcp.hi5.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por batista30 em 17.08.08 15:53

tem a sua logica...bem bom no verão! Wink
avatar
batista30
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 1306
Clube : S.L.Benfica, Académica e Anadia FC
Pontos : -29
Data de inscrição : 06/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 18.08.08 6:47

Portugueses compram cada vez menos preservativos

Os portugueses estão a comprar menos dez mil embalagens do que há quatro anos, uma tendência «assustadora» num país com a segunda mais alta taxa de incidência de Sida da Europa.
Perante os dados, associações e organismos que se dedicam à prevenção da doença dizem-se preocupados, mas não surpreendidos: atribuem a diminuição à quase ausência de campanhas de sensibilização e à sua ineficácia.

«As campanhas não estão a funcionar. Diz-se que a Sida está a diminuir, mas todas as semanas chegam-nos novos casos de pessoas infectadas. Entre os heterossexuais a doença está a subir em flecha e de forma assustadora», garante Filomena Frazão, presidente da Fundação Portuguesa Contra a Sida.

No final do ano passado estavam diagnosticados em Portugal 32.491 casos de infecção, mais 2.125 do que os registados em Dezembro de 2006.

Apesar de a Coordenação Nacional para a Infecção VIH/Sida alertar para o facto de «a evolução da epidemia ainda não estar estabilizada», os portugueses parecem indiferentes aos riscos associados a relações sexuais desprotegidas, alertam alguns repsonsáveis pela luta contra a doença.

A compra de preservativos não tem parado de diminuir desde 2004, ano em que se venderam 853.992 embalagens, mais 116.207 do que em 2007, de acordo com dados da consultora IMS Health, divulgados à agência Lusa.

Em média, eram comercializadas mais de 71 mil caixas de preservativos por mês, mas no ano passado as vendas mensais não foram além das 61 mil embalagens.

O primeiro semestre de 2008 confirma a tendência: em média, venderam-se 56 mil pacotes por mês, menos cinco mil do que em 2007.

«Não acredito que tenha havido uma diminuição do número de relações sexuais que justifique a quebra na venda de preservativos. As pessoas confiam demasiadamente e não têm comportamentos de acordo com a informação de que dispõem», criticou Santinho Martins, presidente da Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica.

Também Filomena Frazão considera que o problema não reside apenas na falta de informação, mas no facto de os portugueses «continuarem muito relutantes em mudar os seus comportamentos de risco».

Já a presidente da Associação Abraço, Margarida Martins, culpa a fraca aposta na prevenção, sobretudo em campanhas direccionadas aos jovens heterossexuais, lembrando que o desconhecimento é tanto que «muitos ainda acham que a Sida se previne com a pílula».

«Quando devia aumentar o uso de preservativos, a sua utilização está a cair. As pessoas acham que a Sida estabilizou em Portugal, mas não sabem que o país tem a segunda pior taxa de incidência da Europa, a seguir à Ucrânia», lamentou, em declarações à Lusa.

Metade das mulheres portuguesas confessa por exemplo, ter relações sexuais sem preservativo, segundo o último Inquérito Nacional de Saúde, divulgado no ano passado.

No primeiro semestre deste ano foram distribuídos gratuitamente mais de 2,3 milhões de preservativos, um número ainda considerado insuficiente, tendo em conta os números da epidemia em Portugal.

«Tem de aumentar a distribuição gratuita de preservativos. Nas farmácias são extremamente caros e numa altura de crise os portugueses poupam em tudo», alerta a responsável da Fundação Portuguesa Contra a Sida.

Lusa
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Johny89 em 28.08.08 16:00

Portugueses só trabalham em 69% do dia

Os portugueses são dos europeus que menos produzem em função das horas de trabalho diário. De acordo com um estudo da Canon sobre produtividade, os portugueses são produtivos em apenas 5,8 das 8,4 horas que, em média, trabalham por dia.

De acordo com um estudo encomendado pela Canon sobre produtividade, realizado com mais de cinco mil colaboradores de empresas de 18 países europeus, os portugueses são produtivos em apenas 5,8 das 8,4 horas (69%) que, em média, trabalham por dia.

No topo da produtividade surgem os alemães com uma produtividade média de 6,5 horas de um total de 8,3 horas diárias (78%). Menos produtivos do que os portugueses só os espanhóis com uma produtividade de 5,7 horas de um total de 8,3 horas diárias. A média europeia situa-se nos 74%.

Os portugueses elegem o período após o almoço e o início da manhã como os momentos menos produtivos. 39% dos portugueses revela dificuldades em trabalhar a 100% após o almoço, percentagem próxima dos franceses que assumem a liderança neste capítulo, em que 51% dos entrevistados refere que tem quebra de produtividade quando regressa da refeição.

60% dos portugueses invoca o estado letárgico pós refeição e 19% o tempo que despende na consulta e envio de emails para explicar a sua quebra de produtividade, seguindo aqui a tendência europeia verificada no estudo.

Pior do que após a hora de almoço só mesmo o início da manhã, com os portugueses, à semelhança dos congéneres europeus, a considerá-lo como um momento de menor produtividade. 26% dos portugueses entrevistados responsabiliza o tempo que precisam para se tornarem activos no trabalho e 19% o tempo despendido na consulta e envio de emails.

A par da variação da produtividade ao longo do dia, o inquérito revela também flutuações em função do dia da semana e do mês do ano. Entre, os europeus, a terça-feira é o dia da semana considerado mais produtivo e a sexta-feira o menos produtivo.

Para os portugueses, o dia de terça-feira é também o mais produtivo (18%). O mesmo não acontece com o dia menos produtivo que neste caso é a segunda-feira (36%), o valor mais elevado entre os países europeus.

Julho e Dezembro são, por outro lado, classificados como os menos produtivos pelos colaboradores entrevistados, embora no caso português o mês de Dezembro seja substituído pelo mês de Agosto. Aqui, 50% dos entrevistados europeus refere não ter diferenças de produtividade em função do mês do ano.

O estudo do ICM Research analisou ainda qual a pausa perfeita durante um dia de trabalho que melhor permitiria aos colaboradores melhorar a produtividade. Entre os portugueses, a pausa para conversar com os colegas (16%), exercício físico (15%), café (16%) e sesta (17%) são apontados como as pausas ideias seguindo assim a tendência dos restantes países europeus

Identificados os momentos e os motivos da menor produtividade, os entrevistados foram confrontados com o que os tornaria mais ou menos produtivos. E aqui, se o reconhecimento interno (85%), bónus e outros incentivos (80%) e a flexibilidade de horários (68%) são considerados os melhores meios para melhorar a produtividade entre os colaboradores, as salas de jogo, bar ou almoços mais longos são tidos como inimigos da produtividade.

Tecnologia e Produtividade

O estudo encomendado pela Canon vem igualmente colocar em relevo a relação entre a tecnologia utilizada nas empresas e os índices de produtividade. 61% dos entrevistados admite que a melhoria no domínio das tecnologias de informação iria melhorar a sua produtividade.

O inquérito revela que 46% dos entrevistados refere que melhorias nas impressoras utilizadas teriam impactos positivos na produtividade. Dois em cada três entrevistados consideram que o tempo de espera pelas impressões os torna menos produtivos.

Com 48%, os portugueses são dos europeus que mais afirmam que esta situação tem impacto negativo na sua produtividade. 46% dos entrevistados referem que melhorias nas impressoras utilizadas os tornariam mais produtivos. Esta percentagem atinge em Portugal os 58%, a mais elevada entre os países analisados.

A par das melhorias nas impressoras, o grau de conhecimento e domínio das mesmas é igualmente apontado como um calcanhar de Aquiles e com relação directa com a produtividade nas empresas. Um quarto dos entrevistados refere que não se sente preparado para utilizar a sua impressora do escritório.

É no Reino Unido, Espanha e Portugal que esta percentagem atinge os valores mais altos com cerca de 1/3 dos entrevistados a revelar falta de conhecimento para trabalhar com a impressora do escritório.

SOL
avatar
Johny89
Uma Lenda Viva

Número de Mensagens : 8173
Clube : FC Porto e FC Barcelona
Pontos : 2869
Data de inscrição : 04/05/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jornal Nacional

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 13 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 11, 12, 13  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum